segunda-feira, 3 de outubro de 2016

            Lisboa-Eletrico 

                                     


Vou falar de um trajecto, já conhecido por muitos lisboetas, e também de alguns "estrangeiros" mas que deslumbra a todos que o fazem, eu já o fiz algumas vezes e adorei, o circuito do eléctrico 28, que combina uma sensação forte de descoberta dos cantos e recantos da cidade e de uma sensação forte de história desta cidade. Liga Campo de Ourique ao Martim Moniz, com retorno pela Graça e Alfama, percorrendo alguma das suas zonas mais carismáticas. 

Saindo de Campo de Ourique, bairro tìpico de Lisboa de tradições comerciais muito enraizadas, bairro esse que adoro, as suas gentes, a simpatia, e com um forte sentimento de vivência local, passando pela basílica da Estrela,  construída no Séc. XVIII, tendo do lado oposto o Jardim da Estrela, construído no Séc. XIX, mas com características românticas de um jardim oitocentista, segue em direcção à Assembleia da República, subindo de seguida para o Calhariz e entra no chiado, ponto de encontro da Boémia Lisboeta e local de eleição de pintores e poetas, zona de muitos bares como já referi em textos anteriores. Dai segue para a Baixa, passa pela Praça do Comércio, local de grandes acontecimentos históricos da cultura portuguesa, seguindo depois, para o Martim Moniz. No retorno, passamos pelas zonas mais antigas da cidade e com mais história, onde encontramos nos bairros populares da Mouraria, Graça, Alfama e Castelo, uma estrutura  cheia de ruelas e becos com vestígios de origem muçulmana e anteriores à reconquista cristã. Voltamos novamente em direcção à Baixa e de regresso a Campo de Ourique, e fecha assim o elo. 



É uma sugestão de passeio para quem se interessa por estas coisas, acaba por ver maior parte da cidade maravilhosa Que é Lisboa.


Sem comentários:

Enviar um comentário